12 Dezembro, 2019

Indicadores de investimento em I&D

No mercado altamente competitivo e globalizado que enfrentamos, o investimento em Inovação e em Investigação e Desenvolvimento (I&D) afirma-se como imperativo no ciclo de vida das organizações. A aposta na implementação de estratégias de investigação, desenvolvimento e inovação tecnológica é importante para o tecido empresarial nacional, num contexto em que a principal dificuldade reside na angariação de fontes de financiamento. A solução para a realização de um quadro de investimentos pode passar pela captação dos incentivos adequados, nomeadamente na área de I&D. Os projetos de I&D caraterizam-se pela novidade apreciável ou existência de desenvolvimentos técnicos e tecnológicos cuja resolução se prevê de elevado grau de incerteza científica e(ou) tecnológica mesmo com atuação e agilização de talentos humanos qualificados e conhecimento da área. 

A importância do investimento e as soluções dos diferentes incentivos em I&D está patente nos resultados dos indicadores de atividade Agência Nacional de Inovação (ANI) ao nível dos incentivos financeiros (Projetos 2020) e dos incentivos fiscais (SIFIDE – Sistema de Incentivos Fiscais à I&D Empresarial). 

Segundo o quadro de resultados, entre os anos de 2014 e 2019, a ANI recebeu 2.092 candidaturas, que se subdividem nas seguintes áreas: TIC 33%; Tecnologias dos Materiais 12%; Biotecnologias 10%; Engenharia Mecânica 8%; Tecnologias Agrárias e Alimentares 7%; Engenharia Química 6% Tecnologias da Construção 6%; Automação e Robótica 3%; Outras áreas 2%.

No quadro de Incentivos Financeiros do Portugal 2020, os números de candidaturas podem ser esmiuçados nas seguintes tipologias:

Fonte: Indicadores de resultados da ANI (atualizado a 28.8.2019)

A ANI apresenta nos seus resultados 825 projetos aprovados e financiados no montante de 912,6 milhões de euros investimento com 534,5 milhões de incentivo. Os montantes, por distrito, com projetos aprovados são os seguintes: 140,86M€ (Porto), 99,44M€ (Braga), 93,34M€ (Aveiro), 52,62M€ (Leiria), 49,38M€ (Coimbra).

O benefício fiscal SIFIDE – Sistema de Incentivos Fiscais à I&D (entre 2006 e 2018) recebeu 1.664 candidaturas em 2018 representando um crescimento de candidaturas de 17% face ao ano anterior e um montante de 816,9 milhões de euros de investimento em I&D. Os montantes de crédito fiscal, por distrito, são os seguintes: 646M€ (Lisboa), 505,6M€ (Porto), 252M€ (Aveiro), 176M€ (Setúbal), 136M€ (Braga), 83M€ (Coimbra) e 62,9M€ (Leiria). 

A SCOPE INVEST nos diferentes projetos de SIFIDE e PT2020 (SI I&DT, nas suas diferentes modalidades) tem incentivado ao desenvolvimento e implementação de novos processos, produtos, métodos. Senão vejamos alguns exemplos segurança de aplicações para smart cities, plataformas informáticas para robótica industrial e respetivos interfaces com outros softwares, realidade aumentada, demonstração e avaliação de estruturas de comunicação 5G e sensorização.

A importância de I&D nas empresas do ponto de vista conceptual, pelos indicadores da ANI, pelo conhecimento da SCOPE INVEST junto dos clientes no mercado é notória no litoral do país e nas áreas de TIC e Materiais. Esse contributo de I&D, salienta o vigor dos Sistemas de Incentivos de projetos e atividades em cooperação das empresas e outras entidades em copromoção no desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços em especial de maior intensidade tecnológica e ações de valorização económica. 

Artigo escrito por:

 
 


Blog
Back to top