6 Setembro, 2019

Indústria 4.0 – Uma oportunidade no setor da indústria

“É evidente a oportunidade nos princípios de atualização da indústria e a incorporação de tecnologia nos seus fatores produtivos e na sua cadeia de valor.”

Os filmes e séries de ficção científica sempre mostraram uma visão futurista. Quem se recorda dos carros e drones que voam, os robôs inteligentes que interagem com humanos, a comunicação por holografia, programação digital para impressão 3D, fábricas inteligentes e digitais e outras invenções? Algumas, mera imaginação e criatividade de cineastas, outras são pura realidade.

A indústria está a sofrer uma revolução digital que engloba a incorporação de tecnologia e inovação para automação, facilitando a visão e execução de “fábricas inteligentes” com as suas estruturas modulares e processos monitorizados através de cloud. Segundo Pentek, a Indústria 4.0 baseia-se nos seguintes princípios: (1) Interoperabilidade: habilidade dos sistemas físicos estarem conectados remotamente; 2) Virtualização: cópia virtual criada por sensores de dados interconectados que monitorizam os processos; (3) Descentralização: capacidade dos sistemas tomarem decisões sem intervenção humana permanente; (4) Orientação remota e Capacidade em tempo real de analisar os dados e entregar relatórios com os indicadores de produção.

A Indústria 4.0, no setor industrial, verifica-se numa evolução dos sistemas produtivos garantindo distintos benefícios tais como redução de custos e de energia, maior excelência e qualidade dos produtos desenvolvidos, melhoria da eficiência dos processos e segurança laboral. É evidente a oportunidade nos princípios de atualização da indústria e a incorporação de tecnologia nos seus fatores produtivos e na sua cadeia de valor. Os produtos, as máquinas e as pessoas estão ligados em rede cada vez em maior número através de plataformas digitais com recolha de informação imediata. 

Os eletrodomésticos, aparelhos, sistemas de alarme, sistemas de rega e outros equipamentos domésticos encontram-se conectados através dos telemóveis e é possível operar remotamente. Nas fábricas é possível estar ligado constantemente a sensores, computadores, células de produção, drones, sistemas de planeamento, relatórios de dados com indicadores de custo. Tudo interligado para obtenção de conjuntos de dados alargados e precisos, que após análise, possibilitem a tomada em tempo real de melhores decisões de produção, custos e segurança.

A Scope Invest denota no mercado a rápida atualização e modernização na maioria das empresas portuguesas para um modelo digital de nível elevado. Os maiores desafios ao desenvolvimento da Indústria 4.0 são a) a falta de formação, cultura de inovação e abertura à mudança, b) a falta de capacidade de colaboração dos parceiros de negócio e c) as questões não resolvidas relativas à segurança e à privacidade dos dados. 

A Indústria 4.0 tem associada uma enorme oportunidade a enquadrar nos diferentes sistemas de incentivos (SI): SI Qualificação, SI Inovação e/ou SI I&DT conforme o quadro de investimentos que tenhamos caso a caso. Nesta tendência está aliada a promoção de melhoria da competitividade da empresa e na adoção de tecnologias que permitam mudanças disruptivas nos modelos de negócio das empresas. 

A Indústria 4.0 veio aumentar significativamente as oportunidades de reter e maximizar a utilidade dos seus meios. Cabe-nos assim aproveitar os seus benefícios e os incentivos existentes para aumentar a competitividade empresarial.

Artigo escrito por:

 


Blog
Back to top